A alga que queria ser flor - identificação e evolução dos principais grupos vegetais



Detalhes

Categoria

Biologia 1º Ciclo

Unidade

Biodiversidade - Grupos vegetais - Conservação e sustentabilidade

Tema

Diversidade vegetal

Tipo de recurso

PDF

Interatividade

-

Submetido por

Ana Cristina Pessoa Tavares dos Santos

N.º de downloads

1343

Classificação dos utilizadores

2 votos
(clique para votar)

Ver comentários (0)

Comentar

Descritivo

A alga que queria ser flor: livro multilingue, em cinco versões bilingue: português/inglês, portg/francês, portg/alemão, portg/espanhol, portg/italiano. Imprensa da Universidade de Coimbra, 2013.
 
Sinopse da obra, com três ideias chave:
 
- educação em Ciências
- metodologia IBSE
- multidisciplinaridade
 
A leitura infantil estimula o desenvolvimento da imaginação e das emoções e a aquisição de uma postura crítico-reflexiva.
- Educação em Ciências - “A alga que queria ser flor” é um livro infantil de educação em Ciência: uma estória que retrata as diferentes etapas evolutivas que deram origem à flora atual e pretende cativar para o mundo das plantas, despertando o interesse e consciência do seu conhecimento e importância, particularmente nos mais jovens. Uma proposta para a sensibilização de um público infantojuvenil para o fascínio de desvendar os mistérios da ciência.
Em edição multilingue, com cinco versões bilingue (portg./inglês, espanhol, italiano, francês, alemão), o livro foi publicado em 2013 com o apoio do Inquire, um Projeto europeu de Educação em Jardins Botânicos (http://www.inquirebotany.org/en/ ; http://www.uc.pt/jardimbotanico/projetos/inquire), e serve de base para uma lição sobre a diversidade dos principais cinco grupos de plantas e sua evolução, podendo assumir um interesse não só ao nível da botânica, mas também ao nível da aprendizagem e promoção de diferentes línguas e outras disciplinas.
Sessões educativas são construídas com base na exploração do livro, que propõe uma atividade original sobre Botânica, para crianças da pré-primária até ao 6º ano do ensino básico de escolaridade, em contato direto com plantas e recorrendo a diferentes ferramentas, disciplinas e experiências, preferencialmente em contexto exterior à sala de aula (Tavares, A.C. (2015). Educação em Jardins Botânicos – 16 anos de experiência. Málaga: Eumed - Universidade de Málaga. ISBN-13:978-84-16036-97-4; In: http://www.eumed.net/libros-gratis/2015/1442/index.htm).
A história, que é afinal a da evolução botânica, é documentada com algumas imagens do Jardim Botânico de Coimbra, podendo ser adaptada a qualquer ambiente e é muito simples: Dois meninos vão ao jardim botânico e ouvem a história de uma alga de um laguinho da estufa-fria, cujo sonho era ser flor. A alga pediu ajuda à Dª Botânica, uma estátua da estufa. Esta transformou-a primeiro em musgo, depois em feto, depois em pinha e, finalmente, em flor. No final da teatralização do livro, os alunos são convidados a contactar diretamente com as plantas, de preferência em ambiente natural, fora da sala de aula, e a aplicar o que aprenderam, a escrever ou desenhar uma pequena história ou música da sua criação. Poderão ainda ter contacto com o mundo das algas, ao microscópio, realizando depois preparações extemporâneas em amostras colhidas no local, avançando um pouco mais no conhecimento.
- Metodologia IBSE Tendo por base uma metodologia de aprendizagem ativa - IBSE (Inquiry Based Science Education) - o aluno é convidado a ser protagonista e a desenvolver um trabalho autónomo, na estruturação da sua aprendizagem, por si próprio e/ou inserido num grupo de trabalho. De modo a fortalecer a aprendizagem, esta é feita da observação e da experimentação com práticas simultaneamente lúdicas e didáticas, assentes em experiências de trabalho reais, relacionadas com o mundo atual, e em que o aluno desenvolve competências na construção do conhecimento e de novas atitudes, mais reflexivas.
- Multidisciplinaridade Estimulando a leitura nos mais novos e também apresentando o tema das plantas, a ação educativa desenvolve-se a partir da botânica, e também da linguística, sendo suscetível de incluir dinâmicas artísticas e performativas, que possam vir a ser protagonizadas e refletidas pelas crianças. Ao inventar outra história, uma música, um desenho e a organização de coleções, focada no conhecimento adquirido sobre a evolução dos grupos de plantas, os jovens alunos são incentivados para a construção do novo conhecimento, através de procedimentos concretos, em contacto com a natureza e interações multidisciplinares.
Estas práticas de ensino informal são uma excelente forma de motivar e estimular as crianças a conseguir aprendizagens sustentadas pela própria experiência e aplicáveis a casos reais, facilitando o entendimento e a integração num mundo global.
Publicado na Imprensa da Universidade de Coimbra - ISBN 978-989-26-0628-6
http://www.uc.pt/imprensa_uc/catalogo/descobrirasciencias/alga_flor
Exemplos em E-book:
Versão em português:
http://www.uc.pt/imprensa_uc/catalogo/ebook/alga_flor_pt
Versão em inglês:
http://www.uc.pt/imprensa_uc/catalogo/ebook/alga_flor_eng

 


Palavras-Chave

plantas, seres vivos, identificação, evolução, conservação, sustentabilidade, inovação, multidisciplinariedade, Biodiversidade, diversidade vegetal, grupos vegetais

Observações

Tem sido tema de educação em Ciências, sobretudo em aulas sobre evolução e diversidade vegetal.
Desta dinamização resultou uma canção "alga que queria ser flor" feita por um professor de música com base nas quadras de alunos do 5º ano, inspirados na estória da alga e na matéria dada nas aulas sobre o tema.
A canção foi interpretada na festa de final de ano da Escola, pelos 5º e 6º anos, e está no mundo virtual, e acessível aqui.
Material Premiado em 2016 - Desafio Casa das Ciências.


Informação adicional

Nome do ficheiro

A Alga que queria ser Flor.zip

Tipo de ficheiro

PDF

Tamanho do ficheiro

248 MB

Como visualizar o recurso?

Para visualizar este recurso, necessita de ter instalado o Adobe Reader, cujo download poderá fazer através da nossa página de Utilidades.

Topo